Marketing do Mecanismo de Busca (SEM)

SEM é a sigla para o termo em inglês “Search Engine Marketing”, que, em tradução livre, significa algo como Marketing para Mecanismos de Buscas.

Basicamente, é todo o conjunto de técnicas e estratégias utilizadas para gerar mais visitantes dos mecanismos de busca para o seu site.

  • O SEM procura promover websites, aumentando sua visibilidade nas páginas de resultados dos mecanismos de busca, utilizando como estratégia o próprio SEO, além dos links patrocinados e outras ferramentas.

    E assim o faz através de duas estratégias: pesquisa paga ou tráfego orgânico

  • Links patrocinados (Adwords ou ADS)

    Os links patrocinados referem-se aos anúncios de texto que aparecem nos mecanismos de busca.

  • SEO – Search Engine Optimization

    Basicamente, SEO pode ser descrito como o conjunto de estratégias e táticas usadas para aumentar o número de visitantes de um site.

Por que o SEM é importante?

Todo mundo usa mecanismos de busca

Tentar alavancar seu negócio sem Search Engine Marketing é como lançar um filme sem colocar qualquer trailer.

Isso porque, hoje em dia, os mecanismos de buscas são uma das principais fontes de informação que as pessoas recorrem quando estão com alguma dúvida.

100 bilhões de pesquisas mensais no Google

Isso já é motivo mais que suficiente para você investir em táticas de SEM

Facilita a criação de conteúdo

Uma das razões pelas quais você deve integrar o SEM nas suas estratégias de marketing digital é que ele pode ajudá-lo a criar conteúdo para o seu site.

Um bom trabalho de SEM pode mostrar o que as pessoas estão procurando e o que é relevante.

Ou seja, dar “algo sobre o que falar”.

Se você tem um blog, por exemplo, pode pesquisar palavras-chaves que sejam bastante procuradas e relevantes para seu nicho.

Por consequência, criar conteúdo com base nelas para atrair novos usuários.

Garante legitimidade

Por incrível que pareça, muitas pessoas realmente não consideram um negócio legítimo até aparecerem nos mecanismos de busca.

Ou seja, se não está no Google, não existe de fato.

Logo, ser encontrado nos primeiros resultados da pesquisa garante maior legitimidade e confiança para sua empresa.

Isso sem falar na reputação e credibilidade.

É, de fato, condição obrigatória para qualquer negócio.

É barato, ou até mesmo gratuito

Se comparado com outras mídias tradicionais, o SEM é, sem dúvida, mais prático, eficaz e barato.

O objetivo é focar naquilo que demanda menos esforço para você conseguir converter visitantes em clientes.

Além disso, as táticas de SEO, por exemplo, não demandam nenhum investimento monetário.

Ou seja, você consegue gerar tráfego e até receita de forma gratuita.

É claro que terá que investir tempo para isso.

Talvez até contratar serviços especializados para desenvolver seu site e produzir conteúdo.

Ainda assim, vale a pena, pois proporciona um crescimento sustentável e a longo prazo.

Grande poder de segmentação

Claro, a segmentação por palavras-chave é crucial.

Afinal de contas, você só quer ir atrás de pessoas realmente interessadas no que tem para oferecer, não é mesmo?

Mas o Google Adwords oferece muitas outras configurações de segmentação nas quais você precisa confiar para maximizar sua performance de SEM.

Quer exemplos?

Veja só:

  • A segmentação geográfica: que leva em conta a área na qual quem faz a pesquisa está localizado fisicamente
  • A segmentação por dispositivo: se o usuário usa em sua busca um computador desktop, um tablet ou um smartphone, por exemplo
  • O agendamento de anúncios: considera a publicação de anúncios somente em determinadas horas ou dias da semana.
Dicas para se fazer Search Engine Marketing
O Search Engine Marketing pode trazer o seu site para os holofotes quando as táticas corretas são aplicadas.

Aqui vão cinco dicas que podem ajudá-lo a obter facilmente o melhor ranking e direcionar o tráfego através dessa estratégia.

O design do site é um dos aspectos mais importantes do SEM.

Se você não está trabalhando com um web designer que realmente entende como funcionam os mecanismos de busca, está se colocando em desvantagem.

O ideal é contratar alguém que já seja um veterano da indústria e tenha bastante experiência.

Se possível, contate com antigos clientes dele e tente descobrir se o seu trabalho realmente ajudou o site a ficar melhor posicionado nos mecanismos de busca.

Lembrando que, em terra de mobile, quem tem um site com design responsivo é rei.

Traduzindo: seu conteúdo precisa se adaptar a todos os tamanhos de tela para fácil visualização.

Na maioria das vezes, as grandes marcas possuem um orçamento mais robusto, o que permite superar negócios mais modestos nos chamados leilões de pesquisas pagas.

Por isso, uma das dicas mais importantes para competir com elas é escolher estrategicamente quais palavras-chave você irá usar.

Concentre-se nos termos com potencial de produzir leads de qualidade e conversões reais para você.

Além disso, a utilização de palavras-chave de cauda longa como parte de sua estratégia permite que você seja mais direcionado e preciso com seu conteúdo.

Restringir as palavras-chave negativas também é uma excelente maneira de evitar que você gaste com uma palavra que não irá gerar nenhum resultado.

Perceba por esses exemplos que há todo um estudo por trás do assunto, o que exige ter o apoio de um profissional de marketing com conhecimento no assunto.

De nada adianta você focar seus esforços apenas em ser bem classificado nos resultados da busca se não pensar também nas necessidades e nos objetivos do seu público.

Se você se esqueceu do seu cliente, pode até ter um site que bem classificado nos motores de busca, mas que, na verdade, não irá se converter em vendas reais.

Isso é péssimo para qualquer negócio.

Por isso, priorize seu cliente antes de seu ranqueamento.

Pode até haver um recurso ou uma ferramenta que o ajude a ganhar um impulso na página de resultados do mecanismo de pesquisa.

No entanto, o conteúdo pode não corresponder com as expectativas do cliente.

Sempre pense sobre o seu site a partir da perspectiva do público.

Afinal de contas, é ele que irá clicar em seus anúncios e não os mecanismos de busca.

Geralmente, muitos anunciantes esquecem que o mundo da pesquisa paga existe fora do Google também.

O Google pode ser o mecanismo de pesquisa mais caro e, com razão – afinal, ele é responsável disparado pelo maior tráfego.

Porém, existem outros mecanismos de pesquisa mais econômicos e menos competitivos.

Por exemplo, você pode querer considerar a rede Bing.

Ele pode ser eficaz (ainda que nem tanto quanto o Google) e, muitas vezes, a um custo muito mais baixo.

Diante da promissora relação custo-benefício, não há por que não tentar.

É importante rever sua campanha regularmente.

Procure rastrear suas conversões para fazer ajustes quando necessários e descobrir se eles aumentam seus cliques.

O importante é manter suas palavras-chave sempre atualizadas e relevantes.

Além disso, experimente a adição de novas palavras-chave.

Também tente criar grupos de anúncios menores e focados em tipos de produtos específicos, dando origem a anúncios mais segmentados e landing pages.

Com um propósito claro e uma estratégia bem planejada, o SEM pode ser uma ferramenta poderosa para as suas campanhas de marketing digital.

Além disso, é um investimento que você não pode se dar ao luxo de ignorar.

Se você está dando os primeiros passos, certifique-se de seguir as dicas que conferiu neste artigo.

O aprendizado está apenas começando.

Mas o sucesso pode bater na sua porta logo em seguida.

Para isso, conte com a ajuda do Rodrigo Luís Coelli e sua fantástica área de apoio da Brolink Studios ADS